terça-feira, 22 de março de 2016

Curitiba testa ônibus híbrido articulado que produz 50% menos fumaça

21/03/2016 - O Dia

Demonstração será iniciada na próxima quinta-feira, em linha que transporta 33 mil passageiros por dia

GUSTAVO RIBEIRO

Pioneira quando o assunto é transporte público no Brasil, Curitiba – a 'criadora' do BRT - inicia, na próxima quinta-feira, testes com uma nova geração de ônibus híbrido articulado, que funciona com energia elétrica e diesel. A demonstração será realizada em uma linha que transporta 33 mil pessoas por dia e com 41 quilômetros de extensão, durante seis meses. Segundo a fabricante, o veículo alia alta capacidade de transporte a uma operação silenciosa, baixa emissão de poluentes e conforto para os passageiros.

Ônibus híbrido articulado da Volvo faz testes em Curitiba
Foto: Divulgação/ Volvo

O híbrido articulado tem capacidade para 154 passageiros e vai circular na linha Interbairros II. O objetivo do teste é verificar a viabilidade de uso da tecnologia em uma linha com grande extensão e muitos passageiros. “Curitiba continua na vanguarda no transporte coletivo. O Hibriplus é mais um passo importante nos avanços que a população merece e precisa. É também, uma demonstração da determinação da cidade em investir na eletromobilidade - solução que integra as novas diretrizes do Plano Diretor de Curitiba em prol da mobilidade sustentável”, afirma o prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet.

Fabricado pela sueca Volvo Bus Latin America, o ônibus que entrará em teste tem wi-fi e ar-condicionado, novidade no transporte urbano de Curitiba. A demonstração faz parte de um acordo entre Curitiba e Suécia para promoção de desenvolvimento sustentável na cidade. De acordo com a empresa, o híbrido articulado possui tecnologia Euro 6, que emite até 39% menos gás carbônico e 50% menos material particulado (fumaça) e Nox (óxidos nocivos à saúde) que os similares Euro 5 movidos a diesel. Para garantir sua eficiência, o modelo será comparado com um articulado a diesel que circulará nas mesmas condições de operação.

Veículo gera energia na frenagem

O modelo é equipado com dois motores, um elétrico e outro a diesel, que funcionam em paralelo ou de forma independente.  O veículo opera em modo 100% elétrico durante as arrancadas e quando está parado nos semáforos ou pontos de embarque e desembarque, momento em que não há emissão de poluentes e ruído. 

A bateria do motor elétrico é recarregada durante as frenagens do veículo. Cada vez que se acionam os freios, a energia de desaceleração é utilizada para carregar a bateria.  Quando o veículo está parado, seja no trânsito, em pontos de ônibus ou em semáforos, o motor diesel fica desligado.

Tecnologia previne acidentes

Integrada ao gerenciamento de frotas, o veículo possui ainda uma funcionalidade que permite definir e limitar sua velocidade em ruas e avenidas com alto fluxo de pedestres de forma remota. Mesmo que o motorista acelere, o ônibus não ultrapassa a velocidade definida, aprimorando assim a segurança para pedestres e passageiros, e diminuindo a possibilidade de acidentes.

sábado, 12 de março de 2016

Passageiros com o Cartão Metrocard já podem ter acesso à internet. Também é estudado o uso de cartão de crédito e débito

12/03/2016 - Blog Ponto de Onibus

wi-fi ônibus
O terminal novo da cidade de Fazenda Rio Grande, na região Metropolitana de Curitiba, é um dos locais onde os passageiros já podem ter acesso à internet gratuitamente – Foto: Emerson Moares
Serviço está disponível nos espaços atendidos pelas linhas da região metropolitana de Curitiba

ADAMO BAZANI

Passageiros que possuem o cartão Metrocard, usado nas linhas metropolitanas integradas e não integradas, já podem ter acesso à internet grátis por meio de redes Wi-Fi em terminais de ônibus e estações-tubo.

Dependo dos trajetos, os usuários já têm o serviço disponível nos principais pontos de deslocamento. Para os passageiros das linhas da Leblon e da Nobel, por exemplo, os pontos de acesso à internet estão no terminal Fazenda Rio Grande e nas estações-tubo PUC Paraná e Carlos Gomes, em Curitiba.

O acesso, de acordo com a Metrocard, que reúne as empresas operadoras das linhas metropolitanas, é bastante simples e destinado apenas para quem possui o Cartão Metrocard.

Basta por meio do smartphone ou tablet localizar a rede Metrocard pelo Wi-Fi. Depois é necessário informar o CPF, a data de nascimento e aceitar as condições de uso do serviço. A conexão é automática.

Todos os usuários dos cartões Metrocard têm à disposição 30 minutos por acesso para consulta de horários, usando o aplicativo Ônibus +, ou para consultar a página www.cartaometrocard.com.br.

Passageiros que utilizam o cartão Metrocard há pelo menos 60 dias também podem acessar rede sociais, como Facebook, Twitter, além de consultar e-mails.

Até a metade deste ano deve ser disponibilizado também para os passageiros um novo aplicativo, o Metrocard App, que vai ser integrado ao Google Street View e oferecer novas funções como o tempo de viagem programado e informar a previsão de quando o ônibus deve demorar para passar pelo ponto onde a pessoa está. O aplicativo também vai sugerir as linhas de ônibus mais próximas da localização selecionada pelo usuário.

De acordo com a Metrocard, têm sido realizados testes para que até junho, o sistema de ônibus metropolitanos de Curitiba também aceite pagamento de passagens por meio de cartões de crédito e débito.  Sistema semelhante começou a ser implantado em linhas municipais de Jundiaí, no interior paulista.

No caso da região metropolitana de Curitiba, o sistema terá parceria da Mastercard e vai calcular a diferença das tarifas metropolitanas das municipais em caso de integração.

A possibilidade de pagamento pelo cartão de crédito ou débito será para os passageiros na modalidade comum, o vale-transporte pago pelas empresas empregadoras só será possível pelo cartão Metrocard. O Metrocard para modalidade comum também continua.

Até o final do ano também devem estar disponíveis nos terminais, máquinas de autoatendimento para carga e recarga de créditos de transporte. As máquinas serão semelhantes aos caixas eletrônicos e vão possibilitar a inserção de valores para o pagamento das tarifas.

A Metrocard também estuda a possibilidade de oferecer serviço de Wi-Fi dentro dos ônibus.

Acompanhe abaixo as estações e terminais onde já é possível acessar gratuitamente a internet pelo cadastro do cartão Metrocard

Terminal Fazenda Rio Grande (terminal novo)

Estação Tubo Carlos Gomes

Estação Tubo PUC – Paraná

·         Terminal do Maracanã (Colombo)
·         Terminal Cachoeira
·         Terminal Central de São José dos Pinhais
·         Terminal do Guaraituba
·         Terminal Central de Araucária
·         Terminal de Pinhais
·         Estação Tubo 19 de Dezembro
·         Estação Tubo Camilo Di’Lellis
·         Estação Tubo Rui Barbosa

Próximos locais que devem oferecer acesso gratuito à internet

·         Estação Tubo Autódromo
·         Estação Tubo Paulo Kissula
·         Estação Tubo Pastor Manoel Virgílio de Souza
·         Estação Tubo Vila Nova
·         Estação Tubo Ferrari
·         Estação Tubo Aeroporto
·         Terminal de Almirante Tamandaré
·         Terminal Maria Angélica
·         Terminal do Roça Grande
·         Terminal do Jardim Paulista
·         Terminal de Quatro Barras
·         Terminal de Piraquara
·         Terminal Velho da Fazenda Rio Grande
·         Terminal de Campo Largo

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Região de Curitiba aceitará cartão de crédito em ônibus

 11/03/2016  - Folha de SP

COLUNA MERCADO ABERTO

A região metropolitana de Curitiba deverá implantar até junho um sistema de pagamento de passagens de ônibus por aproximação do cartão de crédito ou de débito, sem necessidade de bilhete.

O sistema vai calcular descontos previstos pela rede de transportes, como o da interligação com linhas municipais, diz Lessandro Zem, presidente da Metrocard, que opera a bilhetagem na região.

Quem recebe vale-transporte, no entanto, não terá acesso ao sistema.

Desde agosto de 2015, já há um protótipo em operação: um cartão da Metrocard que pode ser usado no comércio com créditos pré-pagos.

A tecnologia já é aplicada na rede de transportes de Londres, afirma Gilberto Caldart, presidente da Mastercard para América Latina e Caribe. A empresa participou do desenvolvimento do sistema.

O modelo deverá ser levado a mais três regiões do país neste ano, mas os contratos ainda não foram assinados, segundo a Mastercard.

Ainda na região, a Urbs, que controla as linhas municipais de Curitiba, vai lançar nas próximas semanas uma licitação para um sistema de identificação por biometria facial, para evitar fraudes.

A tecnologia já é usada por 220 mil isentos de cobrança.

"Os custos públicos vão cair. O fornecedor cuidará da atualização e da manutenção", diz o presidente da Urbs, Roberto da Silva Junior.

O pagamento da contratada deverá ficar abaixo dos R$ 800 mil mensais hoje gastos pela Urbs no sistema.

R$ 35 milhões

é a receita mensal bruta da Metrocard na zona metropolitana

R$ 3,70

é o preço mínimo da passagem

1,7 MILHÕES

são transportados pelas linhas municipais da Urbs por dia útil

250

linhas de ônibus municipais