terça-feira, 24 de setembro de 2013

Obras do Ligeirão Norte interditam trecho da Avenida Paraná nesta quinta

04/09/2013 - Gazeta do Povo

Bloqueio da pista lateral ocorre por obras de instalação do Ligeirão Norte, que vai ligar o Santa Cândida ao Batel. Estações-tubo desativadas para alargar canaletas devem voltar a funcionar no fim de outubro

AMANDA AUDI

A pista lateral da Avenida Paraná terá bloqueio total da pista sentido bairro das 9h Às 17h desta quinta-feira (5), entre as ruas Vereador Constante Pinto e Maximino Zanon, no Bacacheri. A interdição ocorre em função de obras para instalar uma travessia elevada de acesso à estação-tubo Gago Coutinho, no sentido bairro.

Desvios de trânsito podem ser feitos pelas ruas Vereador Constante Pinto, Canadá e Maximino Zanon. Agentes da Setran estarão no local para orientações. A circulação de ônibus pela avenida não será afetada.

Ligeirão

A obra faz parte do conjunto de ações para a instalação do Ligeirão Norte, que vai ligar o Terminal Santa Cândida à Estação Bento Viana, no Batel, e que só deve começar a funcionar no ano que vem. Na primeira fase do projeto, 15 estações-tubo passam por adequações.

Seis estações-tubo estão desativadas por causa das obras de desalinhamento (para alargar a canaleta). São elas: Maria Clara, Joaquim Nabuco, Moysés Marcondes, Gago Coutinho, Antônio Cavalheiro e Antonio Lago – todas no eixo entre as avenidas João Gualberto e Paraná. Na avenida Sete de Setembro, passam pelo mesmo procedimento as estações Bento Viana e Oswaldo Cruz.

Até o fim de setembro, voltam a funcionar as estações Maria Clara, Joaquim Nabuco e Antônio Lago. As demais serão reativadas até 30 de outubro, segundo a Urbs, que administra o transporte coletivo na capital.

Somente depois da conclusão dessa etapa é que a Urbs vai começar a segunda parte do projeto, que ainda tem pontos indefinidos. As estações Eufrásio Correia (em frente ao Shopping Estação) e Central (atrás da Praça Santos Andrade) devem passar por reformas para receber o Ligeirão.

Além disso, a Praça do Japão, no Batel, terá alterações para que os ônibus possam fazer o retorno. Ainda não há informações sobre como serão essas obras. Mas o traçado inicial que cortaria a Praça do Japão e que causou polêmica entre moradores do local, será alterado, garante a Urbs.

Outras mudanças nos terminais por onde passarão os Ligeirões também serão feitas nessa segunda parte do projeto. A Urbs espera concluir o planejamento até o fim de outubro. Não há data prevista para a conclusão de todas as obras.

Histórico

As obras de implantação do Ligeirão Norte começaram em maio de 2011. O cronograma inicial das adequações das estações-tubo seria concluído em abril deste ano, mas o projeto atrasou. Agora, segundo a Urbs, os novos prazos estariam sendo cumpridos.

O Ligeirão passará por oito pontos: as estações Passeio Público, Central, Eufrásio Correia, Osvaldo Cruz e Bento Viana, além dos terminais Santa Cândida, Boa Vista e Cabral. Em cada um destes, o passageiro poderá embarcar ou descer, fazendo integração com outras linhas disponíveis.

A linha corresponderá a um trecho de cerca de 11 quilômetros, que devem ser percorridos em 25 minutos menos que o biarticulado Santa Cândida/Capão Raso. A Urbs estima que 50 mil passageiros por dia vão usar o Ligeirão Norte. O projeto da obra orçava as adequações em R$ 10 milhões.