quinta-feira, 30 de junho de 2011

Luciano Ducci anuncia primeira obra do PAC da Copa

29/06/2011 - Agencia Curitiba

O prefeito de Curitiba, Luciano Ducci, autorizou nesta quarta-feira (29) a licit ...
Baixe o Flash Player.

O prefeito de Curitiba, Luciano Ducci, autorizou nesta quarta-feira (29) a licitação das obras de implantação da extensão da Linha Verde Sul, a primeira obra que receberá os recursos do PAC da Copa. “Curitiba é uma das poucas cidades brasileiras que já está licitando obras do PAC da Copa. Até o fim do ano, vamos licitar R$ 222 milhões de outras obras previstas para o mundial de futebol, promovendo melhorias na infraestrutura na cidade”, disse Luciano Ducci.

Durante a assinatura do edital, no Salão Brasil da Prefeitura, Ducci agradeceu a parceira com a Caixa Econômica Federal para obter os recursos de melhorias previstas para a Copa de 2014. Acompanharam a assinatura os vereadores João do Suco, líder do governo na Câmara Municipal, Roberto Hinça, Serginho do Posto e Tico Kuzma, o secretário municipal da Copa, Luiz de Carvalho, e o presidente do Ippuc, Clever Almeida, além de outros secretários municipais.

Legado - O superintendente regional da Caixa no Paraná, Ermínio Basso, disse que estes recursos vão ajudar a transformar a cidade. “O prefeito Luciano Ducci vai executar as obras da Copa e deixar um legado para Curitiba, com melhorias de infraestrutura”, disse.

O edital de concorrência nacional será publicado na próxima terça-feira (5) nos diários oficiais da União, Estado e Município, além deter um link de acesso no site da Prefeitura de Curitiba (www.curitiba.pr.gov.br).

O prazo de entrega das propostas irá até dia 9 de agosto. A licitação tem custo total de R$ 15,4 milhões. A previsão de duração da obra é de 300 dias. A obra começará após a conclusão da licitação. A extensão da Linha Verde Sul será no trecho entre as ruas Sander Roberto da Cunha e Isaac Ferreira da Cruz.

Obra - Numa extensão de 1,8 quilômetro, o eixo da BR 476 vai se transformar numa via urbana com a implantação de 10 pistas de rolamento, sendo duas para canaletas exclusivas para o transporte coletivo, seis para o sistema viário (três em cada sentido) e duas vias locais de passagem (uma em cada sentido), ciclovia, além de iluminação renovada, paisagismo e calçadas.

No trecho, que vai da altura do terminal do Pinheirinho até a Isaac Ferreira da Cruz, haverá a estação Winston Churchill de integração do transporte coletivo.

Integração - A extensão da Linha Verde Sul tem, no total, dois lotes de obras dentro dos limites de Curitiba. Além da ligação de 1,7 quilômetros do primeiro lote há o trecho que vai desde a Isaac Ferreira da Cruz até o trevo do Contorno Leste, numa extensão de 1,6 quilômetros. Ainda não há data prevista para a licitação do segundo trecho de obras.

Para além dos limites de Curitiba estão previstas as obras de extensão da Linha Verde Sul até o município de Fazenda Rio Grande, na Região Metropolitana. A intervenção no trecho sob concessão da OHL, também prevê a reserva de área para a linha exclusiva de transporte num trecho de 11,8 quilômetros até Fazenda Rio Grande e a duplicação da rodovia prosseguindo até o município de Mandirituba.

A Prefeitura é a responsável pelo investimento de R$ 13,5 milhões na construção das alças de acesso à rodovia nas proximidades da Ceasa e a OHL por 15,8 milhões para a execução da trincheira no local.

terça-feira, 21 de junho de 2011

Obras da faixa exclusiva para ônibus terminam nesta quarta em Londrina

20/06/2011 - O Diário, Juliana Leite

Os usuários de transporte público que transitam da zona norte em direção ao Centro de Londrina vão contar a partir da próxima semana com uma faixa exclusiva para ônibus. A previsão da Companhia de Trânsito e Urbanização (CMTU) é de que as obras do trecho sejam finalizadas nesta quarta-feira (22).

Segundo o diretor de trânsito da CMTU, Wilson de Jesus, a faixa exclusiva começará na Avenida Rio Branco, segue pela Winston Churchil e Francisco Gabriel Arruda até chegar na Saul Elkind. De acordo com ele, o tempo gasto pelos ônibus que atendem a zona norte até o centro será menor. Com a implantação da faixa, este trajeto deve ter o tempo reduzido entre 17 a 20 minutos.

Wilson de Jesus comentou que a inauguração oficial da faixa deve ocorrer entre segunda (27) e terça-feira (28), mas que antes disso a via já estará liberada pela CMTU. "Já vai ter tráfego normal no local. O que vamos fazer é trabalhar com a orientação de trânsito. Como temos um feriado prolongado a partir de quinta e muita gente pode viajar, queremos dar início na semana que vem", comentou.

Para melhorar o trânsito na região, Wilson de Jesus comentou que a Secretaria Municipal de Obras e Pavimentação realizou recapeamento asfáltico nas Avenidas Rio Branco e Winston Churchil. Além disso, a CMTU instalou um semáforo no cruzamento das Avenidas Rio Branco e Tietê. "Além disso, fizemos a sincronização de todos os sinais. Vai melhorar e muito o trânsito de trabalhadores e de toda a população da região", avaliou.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Proposta de integração de bicicletas aos ônibus

06/06/2011 - Jornale

Ideia é implantar estacionamentos exclusivos em tubos e terminais de ônibus

Integração de bicicletas ao transporte coletivo é proposta do vereador Professor Galdino (PSDB) em apreciação na Câmara de Curitiba. A ideia do parlamentar, apresentada nesta semana em requerimento à prefeitura, é a implantação de estacionamentos exclusivos para bicicletas nas proximidades das estações-tubo e terminais de ônibus. A medida possibilitaria, principalmente aos trabalhadores e estudantes, o uso de bicicletas até em longas distâncias. 

“Devemos parar de pensar na bicicleta como mero instrumento de lazer. São muitos os cidadãos que usam este meio de transporte não poluente para se deslocar ao seu trabalho e estudo”, completa. No conteúdo do requerimento, Galdino demonstra preocupação com a questão estrutural dos bicicletários para que não sejam similares ao da Rua Comendador Macedo, no centro. O parlamentar diz que aquele local é de difícil uso.

No texto, Galdino afirma que aquele estacionamento “não propicia fixação da bicicleta, dificultando a passagem de correntes e travas de segurança devido à proximidade do cano ao chão”. O vereador complementa: “Não quero a implantação de estacionamentos com estrutura precária, mas que possibilitem a fixação da bicicleta ao local para que não caia, e tenham bases fortes o suficiente para que impeçam furtos.”

Para o parlamentar tucano, “o uso da bicicleta seria incentivado se houvesse possibilidade do cidadão se deslocar ao seu trabalho ou ao local de estudo, podendo fazer escala em terminal de ônibus ou estação-tubo.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Ônibus híbrido elétrico começará no Interbairros 1

15/06/2011 - Jornale

Novos ônibus começarão a ser produzidos pela Volvo de Curitiba

A primeira linha de Curitiba a ter o hibribus será a do Interbairros 1, que circula em bairros no entorno do Centro. Na segunda etapa, os ônibus híbridos atenderão as linhas Detran-Vicente Machado, Água Verde-Abranches, Ahú-Los Angeles, Juvevê-Água Verde e Jardim Mercês-Guanabara.

"São linhas que ligam bairros opostos e passam pelo Centro. Com o hibribus, teremos ônibus mais silenciosos e menos poluentes nestes locais", disse o presidente da Urbs, Marcos Isfer, que também participou do anúncio na Suécia. A Urbs gerencia o transporte coletivo em Curitiba.

O prefeito Luciano Ducci e o presidente mundial da Volvo, Hakan Karlsson, anunciaram na segunda-feira (13), em Gotemburgo, na Suécia, que a Volvo vai investir R$ 200 milhões em Curitiba. Os investimentos incluem, além do aumento da produção, a implantação de uma fábrica de ônibus híbridos com motores elétrico/biodiesel na capital do Paraná. "Curitiba será a primeira cidade da América Latina a ter o hibribus atendendo a população, com 60 ônibus a entrar no sistema a partir de 2012", anunciou Luciano Ducci.

Curitiba venceu Índia e México na disputa para a implantação da fábrica de hibribus. "Também seremos a primeira cidade da América Latina a fabricar o ônibus elétrico/biodiesel. É uma conquista que reforça os avanços da cidade, principalmente na área de transporte e desenvolvimento com foco no respeito ao meio ambiente", afirmou Luciano Ducci.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Curitiba terá 60 ônibus movidos a eletricidade e a biodiesel a partir de 2012

13/06/2011 - Jornale

Prefeito anunciou ônibus híbrido e investimentos de R$ 200 milhões

O prefeito Luciano Ducci e o presidente mundial da Volvo, Hakan Karlsson, anunciaram nesta segunda-feira (13), em Gotemburgo, na Suécia, que a Volvo vai investir R$ 200 milhões em Curitiba. Os investimentos incluem, além do aumento da produção, a implantação de uma fábrica de ônibus híbridos com motores elétrico/biodiesel na capital do Paraná. "Curitiba será a primeira cidade da América Latina a ter o hibribus atendendo a população, com 60 ônibus a entrar no sistema a partir de 2012", anunciou Luciano Ducci.

Curitiba venceu Índia e México na disputa para a implantação da fábrica de hibribus. "Também seremos a primeira cidade da América Latina a fabricar o ônibus elétrico/biodiesel. É uma conquista que reforça os avanços da cidade, principalmente na área de transporte e desenvolvimento com foco no respeito ao meio ambiente", afirmou Luciano Ducci.

Investimentos - Além da linha de produção do hibribus, a Volvo também terá investimentos na ampliação da fábrica de pintura, na expansão do Centro de Operações Logísticas e na nacionalização das linhas de motores de 11 litros e de caixas de transmissão eletrônica para ônibus e caminhões.

O investimento na linha do hibribus será de R$ 16 milhões, com geração de 30 empregos de alta qualificação, para engenheiros. O desenho do chassi do hibribus será feito em Curitiba.

Operação - A primeira linha de Curitiba a ter o hibribus será a do Interbairros 1, que circula em bairros no entorno do Centro. Na segunda etapa, os ônibus híbridos atenderão as linhas Detran-Vicente Machado, Água Verde-Abranches, Ahú-Los Angeles, Juvevê-Água Verde e Jardim Mercês-Guanabara.

"São linhas que ligam bairros opostos e passam pelo Centro. Com o hibribus, teremos ônibus mais silenciosos e menos poluentes nestes locais", disse o presidente da Urbs, Marcos Isfer, que também participou do anúncio na Suécia. A Urbs gerencia o transporte coletivo em Curitiba.

Produção - A nova linha da Volvo vai produzir chassis de ônibus híbridos, movidos a eletricidade e a biodiesel. O produto escolhido é um chassi padrão, na configuração 4x2 eixos. O motor tem tecnologia similar à usada da Fórmula 1, que transforma energia mecânica em energia elétrica.

A Volvo é o primeiro fabricante a produzir veículos híbridos no Brasil. A pré-produção começa no próximo ano, com uma previsão de 80 unidades. A operação brasileira será a primeira a fabricar híbridos fora da Suécia. Os híbridos da Volvo são produzidos conjuntamente por duas plantas - a de Boros, a 80 quilômetros de Gotemburgo, e a de Wroclaw, na Polônia.

Dois motores - O ônibus tem dois motores, um a biodiesel e outro elétrico, que funcionam em paralelo ou de forma independente. O motor elétrico é utilizado para arrancar o ônibus e acelerá-lo até uma velocidade de aproximadamente 20 quilômetros por hora, e também como gerador de energia durante as frenagens.

O motor biodiesel entra em funcionamento em velocidades mais altas. A cada vez que se acionam os freios, a energia de desaceleração é utilizada para carregar as baterias.

Quando o veículo está parado, seja no trânsito, em pontos de ônibus ou em semáforos, o motor biodiesel fica desligado. Estudos da Volvo demonstram que o tempo que o veículo fica parado pode representar até 50% do período total de operação do ônibus. Durante todo esse tempo, não há emissões de poluentes, pois o motor biodiesel se apaga completamente.

"Esta tecnologia tem duas vantagens principais: mais economia de combustível e grande redução no impacto ambiental", destaca Luis Carlos Pimenta.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Diário Oficial da União publica autorização do empréstimo de R$ 86 milhões

10/06/2011 - Agência Curitiba

O Diário Oficial da União traz na sua edição desta sexta-feira, 10, a resolução nº 5/2011, do presidente do Senado Federal, José Sarney, que autoriza a prefeitura de Curitiba a contratar empréstimo de R$ 86,2 milhões junto a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD). O financiamento será usado nas obras da Linha Verde Norte e na implantação de dois novos parques na bacia do Rio Barigui.

"São obras que vão promover o desenvolvimento da cidade e ampliar nossas áreas verdes", disse o prefeito Luciano Ducci.

A resolução segue agora para Casa Civil da Presidência República que a remete a Procuradoria Geral da União que vai confeccionar o contrato. Técnicos do Ippuc vão acompanhar esse processo em Brasília e esperam que até o final da próxima semana, o contrato esteja pronto para assinatura entre a prefeitura e AFD.

O prefeito Luciano Ducci espera iniciar as obras da primeira etapa de obras até o mês de julho. As obras da primeira etapa vão desde o Centro Politécnico, no Jardim Botânico, na Linha Verde Sul, até a altura da trincheira da Victor Ferreira do Amaral, no Tarumã, numa extensão de 2,3 quilômetros. A Linha Verde Norte irá do Botânico ao Atuba.

Esta etapa inclui as obras de drenagem, canaletas exclusivas para o ônibus, pistas marginais e locais, sinalização, iluminação, ciclovia e calçada, as trincheiras das ruas Roberto Cichon e Agamenon Magalhães e a Estação Jardim Botânico.

Como contrapartida, a prefeitura vai construir dois parques: um na Vila Rigoni (Fazendinha) de 118 mil m² e outro, com 87 mil m², na CIC. Os parques terão obras de drenagem, terraplanagem, paisagismo, pavimentação, iluminação, ponte, passarelas e áreas de lazer.

Já as obras da Linha Verde Norte estão previstas em quatro etapas: primeiro trecho - R$ 51,9 milhões - liga o Centro Politécnico, no Jardim Botânico, na Linha Verde Sul, até a altura da trincheira da Victor Ferreira do Amaral, no Tarumã, numa extensão de 2,3 Km.

No segundo trecho: Viaduto da Victor Ferreira do Amaral: R$ 36,7 milhões; terceiro trecho: Victor Ferreira do Amaral – Solar: R$ 37,1 milhões; Quarto trecho: Solar – Atuba: R$ 66,5 milhões.

Leia a íntegra da resolução



R E S O L U Ç Ã O Nº 5, DE 2011 

Autoriza o Município de Curitiba - PR a contratar operação de crédito externo, com garantia da União, com a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), no valor total de até C= 36.150.000,00 (trinta e seis milhões e cento e cinquenta mil euros).

O Senado Federal resolve: 

Art. 1º É o Município de Curitiba - PR autorizado a contratar operação de crédito externo, com garantia da União, com a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), no valor total de até C= 36.150.000,00 (trinta e seis milhões e cento e cinquenta mil euros). 

Parágrafo único. Os recursos advindos da operação de crédito externo referida no caput destinam-se ao financiamento parcial do "Programa de Recuperação Ambiental e Ampliação da Capacidade da Rede Integrada de Transporte". 

Art. 2º A operação de crédito referida no art. 1º deverá ser realizada nas seguintes condições:

I - devedor: Município de Curitiba - PR;

II - credor: Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD);

III - garantidor: República Federativa do Brasil;

IV - valor: até C= 36.150.000,00 (trinta e seis milhões e cento e cinquenta mil euros);

V - prazo de carência: 5 (cinco) anos, contado a partir da vigência do contrato;

VI - amortização: 30 (trinta) parcelas semestrais e consecutivas, de valores tanto quanto possível iguais, vencendo-se a primeira após transcorridos 5 (cinco) anos;

VII - juros: exigidos semestralmente nas mesmas datas de pagamento da amortização e calculados sobre o saldo devedor periódico do empréstimo, a uma taxa semestral baseada na Euribor;

VIII - juros de mora: 3,5% a.a. (três inteiros e cinco décimos por cento ao ano) acrescidos aos juros devidos e ainda não pagos;

IX - comissão à vista (front-end fee): C= 27.000,00 (vinte e sete mil euros), a ser paga até a data do primeiro desembolso;

X - despesas contratuais: até C= 10.000,00 (dez mil euros);

XI - opções de fixação de taxa de juros: a referida taxa pode ser alterada para uma taxa fixa equivalente à Euribor de 6 (seis) meses, determinada na data de assinatura do contrato, acrescida pela variação da taxa de maturidade constante em 10 (dez) anos de um bônus do Estado francês (CNO-TEC index 10 years) entre a data de assinatura do contrato e a data de fixação da taxa de juros. 

Parágrafo único. As datas de pagamento do principal, dos encargos financeiros e dos desembolsos previstos poderão ser alteradas em função da data de assinatura do contrato de empréstimo. 

Art. 3º É a União autorizada a conceder garantia ao Município de Curitiba na operação de crédito externo referida nesta Resolução.

§ 1º A autorização prevista no caput é condicionada a que o Município de Curitiba celebre contrato com a União para a concessão de contragarantias, sob a forma de vinculação das receitas previstas nos arts. 156, 158 e 159, em conformidade com o § 4º do art. 167, todos da Constituição Federal, e de outras garantias em direito admitidas, podendo o Governo Federal reter os recursos necessários para cobertura dos compromissos honrados diretamente das contas centralizadoras da arrecadação do Município de Curitiba ou das transferências federais. 

§ 2º Previamente à assinatura dos instrumentos contratuais, o Município de Curitiba comprovará, junto ao Ministério da Fazenda, o cumprimento das condições para o primeiro desembolso, conforme estipulado no contrato de empréstimo, e a adimplência do Município e de todos os seus órgãos e entidades quanto aos pagamentos e prestações de contas de que trata o art. 10 da Resolução nº 48, de 2007, do Senado Federal. 

Art. 4º O prazo máximo para o exercício desta autorização é de 540 (quinhentos e quarenta) dias, contado a partir da vigência desta Resolução. 

Art. 5º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. 

Senado Federal, em 9 de junho de 2011

Senador JOSÉ SARNEY
Presidente do Senado Federal