sábado, 21 de maio de 2016

Prefeitura lança chamamento para propostas de transporte público movido a eletricidade

20/05/2016 09:11 - Prefeitura de Curitiba

A Prefeitura de Curitiba publica nesta sexta-feira (20) o edital de chamamento para interessados em participar do Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) para a implantação e operação de linhas de transporte público com acionamento elétrico (eletromobilidade). O PMI é uma espécie de concurso de ideias entre empresas interessadas e servirá de base para uma futura licitação do novo modal. A eletromobilidade pode comportar Veículos Leves sobre Trilhos (VLT) ou Sobre Pneus (VLP), que, além de silenciosos e de não emitirem poluentes, podem alcançar capacidade de transporte quase duas vezes maior que a dos BRTs (Bus Rapid Transit).

Ao anunciar o lançamento do edital, o prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, ressaltou que a multimodalidade faz parte da estratégia da cidade para tornar seu sistema ainda mais seguro e eficiente.  “Uma cidade moderna precisa apostar na multimodalidade e em soluções sustentáveis. A eletromobilidade chega, portanto, para se somar aos demais modais, contribuindo de maneira significativa para o aumento da capacidade do sistema de transporte público e também para a sustentabilidade”, comentou.

O prefeito destacou ainda o fato de Curitiba estar inovando ao utilizar para este PMI uma solução de caráter interfederativo – ou seja, que pode envolver outros estados e municípios. “Curitiba inova com a edição desta PMI interfederativa. Este procedimento permite celebrar parcerias públicos privadas (PPPs) com mais de uma cidade ou outros entes da federação, visando a execução de serviços públicos de interesse comum, como o de transporte”, comentou.

Os planos da Prefeitura para o novo modal incluem quaro diferentes trechos e também um “traçado livre”. Este último se caracteriza por abrir espaço para que as próprias empresas apresentem propostas diferenciadas, que explorem as possibilidades de inovação urbanística, técnica, institucional e operacional, ou outras que desejar fazer.

Os quatro trajetos pré-definidos são:

a)    Terminal CIC - Centro de Feiras (a ser construído no Parque da Imigração Japonesa). Na hipótese de uma abordagem metropolitana, o trajeto poderá se estender até o Aeroporto Affonso Pena e, na ponta Sul, até o Município de Araucária.

b)    Barreirinha - Marechal Floriano - da divisa com Almirante Tamandaré até a Linha Verde, na altura da estação Marechal Floriano.

c)    Aeroporto – Centro Cívico. As propostas podem seguir dois traçados: 1) Centro Cívico – Boqueirão, via Marechal Floriano (estação Wilson Dacheaux); e 2) Centro Cívico – Centro de Feiras (Parque da Imigração Japonesa), via Avenida das Torres.

Em ambos os casos, caso se opte por uma abordagem metropolitana, o trajeto poderá estender-se até o Aeroporto Affonso Pena.

d)    Linha Atuba – Tatuquara. Parte da estação Atuba e segue por toda a extemsão da Linha Verde. No caso de uma abordagem metropolitana, o itinerário poderá ser estendido até Colombo e Fazenda Rio Grande.

Capacidade

Em termos de número de passageiros, os veículos leves sobre trilhos ou pneus se enquadram como de média capacidade, ou seja, se situam entre o metrô e os BRTs. Segundo dados da Urbs, a capacidade de transporte deste modal é da ordem de 25 mil passageiros/hora; o BRT - no eixo sul, o mais carregado do sistema, com um biarticulado por minuto - pode transportar aproximadamente 15 mil passageiros/hora e o metrô, 45 mil passageiros/hora.

Entre outras vantagens, os VLT/VLP são reconhecidos por serem confortáveis, silenciosos e, especialmente, por não emitem poluentes na atmosfera. Como as projeções são de um aumento na demanda na Linha Verde depois de concluídas as obras de reurbanização e modernização, a expectativa é de que o novo sistema permita transportar até 120 mil passageiros por dia.