quinta-feira, 29 de julho de 2010

Curitiba: Novo Ligeirinho será implementado no Tatuquara

Paraná On Line - 28/07/2010

Usuários do transporte coletivo que residem na região do Tatuquara, na zona sul de Curitiba, poderão contar com uma nova linha-direta. Nas próximas semanas, técnicos da Urbanização de Curitiba S/A deverão iniciar um estudo para a implementação de um Ligeirinho, com uma estação-tubo como ponto final dentro do bairro. A nova linha sugerida por representantes de moradores da região poderia reduzir o tempo de viagem entre o Tatuquara e o centro da capital.
Na última semana, durante uma audiência pública realizada no bairro, os moradores entregaram ao prefeito Luciano Ducci um documento, com mais de 6 mil assinaturas, solicitando a implantação do ligeirinho e de um terminal de ônibus na região.Segundo a presidente da Associação de Amigos e Moradores da Vila Palmeiras II, Maria do Rocio Antoniaconi, a população do bairro cresceu muito nos últimos três anos e o número de ônibus e linhas já não atende mais a demanda de passageiros.
Maria do Rocio ressalta que pelo menos sete loteamentos foram criados no período. “Há alguns anos os loteamentos praticamente não existiam. Somente no Moradias Monteiro Lobato, foram entregues, através de programas habitacionais, mais de 500 novas moradias”, diz.O motorista de ônibus, Rogério Campos, que recolheu as assinaturas dos moradores para reivindicar o Ligeirinho, revela que há tempos a população pede uma linha-direta no Tatuquara.
Ele conta que hoje, para ir do Tatuquara ao centro da cidade, os usuários levam cerca de uma hora e 15 minutos. Isso porque é preciso ir até o terminal do Pinheirinho para fazer a conexão com outras linhas. “Um Ligeirinho que fosse direto do bairro para o centro faria o percurso em no máximo 45 minutos”, complementa.
Campos acredita que a implementação de um terminal no bairro poderia desafogar o terminal do Pinheirinho e possibilitar uma redistribuição das 13 linhas alimentadoras que atendem o Tatuquara. “O terminal também beneficiaria os passageiros da Região Metropolitana, que também precisam passar pelo Pinheirinho para ir a outras localidades”.O gestor de Operação do Transporte Coletivo da Urbs, Luiz Filla, comenta que o prefeito entende que o bairro merece uma nova linha-direta e determinou que técnicos estudassem o itinerário da nova linha.
Segundo ele, não há prazo para a elaboração do projeto já que é preciso planejar alterações na estrutura viária do bairro, com a pavimentação definitiva e espaço físico para a estação-tubo.
“Somente após a implantação da linha-direta será avaliada a possibilidade da implementação de um terminal de ônibus na região. É preciso considerar que existem outras implicações, como o metrô que está previsto para a região sul”, diz.

Integração por cartão transporte também nos ônibus da Linha Verde

A partir de 3 de agosto, passageiros da Linha Verd ...Publicado em 29/07/2010 às 16:26


A partir de 3 de agosto, passageiros da Linha Verde poderão trocar de ônibus e de rota na Estação São Pedro sem pagar nova tarifa. A Urbanização de Curitiba S/A está ampliando o projeto experimental de integração temporal - feita por cartão de transporte, com tempo determinado.

A medida da Urbs beneficia principalmente moradores da Vila São Pedro, que se descolam ao Pinheirinho, e também quem está entre a Linha Verde e a canaleta da República Argentina e queira ir para a região central da cidade de forma mais rápida.
A integração temporária na Estação São Pedro atende reivindicação da comunidade que participou das audiências públicas da Prefeitura.
Os passageiros que estão, por exemplo, em qualquer um dos alimentadores: Vila São Pedro, Gramados e Urano, e queiram ir para o Terminal do Pinheirinho, podem descer na Estação São Pedro, atravessar a pista pela faixa de pedestre e entrar no tubo sentido bairro sem pagar nova passagem. Basta passar o cartão de transporte pelo validador de integração que está instalado nos dois tubos da estação.
A integração temporal nesse ponto agilizará as viagens de bairro para bairro. Antes, os passageiros dos alimentadores tinham de desembarcar no Terminal do Capão Raso, aumentando a distância para a integração com outro ônibus.
A integração temporária também traz vantagens para quem circula entre a Linha Verde e a República Argentina. "É mais uma opção de descolamento para o Centro, e para a quem quer ir para a região da avenida Marechal Floriano sem pagar outra tarifa", explica o gestor de Operação de Transporte, Luiz Filla.
Agora, quem sair do Terminal Capão Raso com cartão de transporte pode entrar na Estação São Pedro sentido centro, com a opção de parar Marechal Floriano. Antes, o passageiro desembarcava na praça Rui Barbosa e pagava outra passagem para trocar linha, ou seguia do Capão Raso, passando pelo Terminal do Hauer antes de chegar na Marechal Floriano.
Essa nova forma de integração começou em março, com a linha Vila Velha/Buriti (unificação das antigas linhas Uniandrade e Buriti), beneficiando passageiros das linhas Vila Velha; Carmela Dutra; Cotolengo; Santa Quitéria; e Água Verde-Buriti, que usam a nova linha Vila Velha Buriti, fazendo a integração temporal na estação Santa Quitéria.
Novo projeto - A implantação do projeto piloto tem como objetivo dar acesso à Rede Integrada de Transporte (RIT) a regiões em que, em função da necessidade de infraestrutura não foi possível viabilizar a integração através de terminais fechados. Os terminais de transporte são uma das principais características do sistema de Curitiba que permite ampla acessibilidade com várias trocas de ônibus pagando apenas uma tarifa.
O novo projeto pretende ampliar a integração que no restante da rede continuará a ser feita em terminais de transporte, mantendo a característica da RIT de indução dos locais de troca de ônibus, facilitando os processos de planejamento e crescimento da cidade, sem a vulnerabilidade do sistema de integração temporal ampla, como ocorre em outras cidades brasileiras.
A Rede Integrada de Transporte atende quase 93% dos passageiros do transporte coletivo da cidade. Além de Curitiba, a RIT atende outros 13 municípios vizinhos, atendendo a 73% da demanda por transporte coletivo na Região Metropolitana. A Rede é formada por 1.910 ônibus, 30 terminais de transporte e 364 estações tubo, transportando por dia útil, em torno de 2,4 milhões de passageiros.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Ônibus da Linha Verde aumentam quilometragem com biocombustível

Urbs - Urbanização de Curitiba S/A amplia o uso do ...Publicado em 26/07/2010 às 11:06


A Urbs - Urbanização de Curitiba S/A ampliou o uso do biocombustível na Linha Verde. Os seis ônibus articulados da Linha Verde que usam 100% de combustível a base de soja (B-100) estão rodando cerca de 60 mil quilômetros por mês. O aumento de 233% na quilometragem rodada pelos ônibus faz parte da nova fase dos testes com biocombustível, coordenados pela Urbs.

Em quase um ano de testes - os ônibus com 100% de biocombustível começaram a rodar em agosto passado na Linha Verde-, cada um dos seis ônibus rodavam cerca de 2.500 quilômetros por mês. Em julho de 2010, a quilometragem passou para 10 mil quilômetros. Dos 12 ônibus que percorrem a linha verde, seis são movidos biocombustível à base de soja.
O aumento da quilometragem foi autorizado pela Agência Nacional do Petróleo, e é necessário para validar testes de combustíveis alternativos. A Agência também autorizou a URBs a aumentar a quantidade de biocombustível para os testes. Agora, cada empresa parceira do programa - Redentor e Sorriso - tem direito a 50 mil litros de biocombustível por mês para usar nos ônibus. Antes, a autorização da Agência era de 10 mil litros por empresa.
"Estamos seguindo todos os critérios técnicos e legais que validam o uso do biocombustível", explica o diretor de Transportes da Urbs, Fernando Ghinone. Curitiba é pioneira no Brasil no uso de 100% de biocombustível em ônibus de transporte público.
A nova quilometragem representa 50% dos descolamentos dos ônibus articulados da Linha Verde. Ou seja, metade das viagens do transporte público por meio do novo eixo da cidade é feita com biocombustível, poluindo menos o ar.
Balanço feito nesse primeiro ano de testes demonstra que o uso do biocombustível é responsável pela redução de até 25% de opacidade (fumaça), e também de até 30% de monóxido de carbono, um dos gases que contribui para o aquecimento global. Mensalmente, o Instituto Tecnológico do Estado do Paraná - Tecpar -, um dos parceiros da Urbs, faz medições nos escapamentos dos ônibus para as avaliações.
O programa de biocombustível é desenvolvido conjuntamente pela Urbs; Secretaria Municipal do Meio Ambiente; Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar); Volvo do Brasil e Scania Latin América; Viação Cidade Sorriso e Auto Viação Redentor; Programa Brasileiro de Desenvolvimento Tecnológico de Combustíveis Alternativos (Probiodiesel); Bs Bios - Indústria e Comércio de Biodiesel Sul Brasil S/A e RDP.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Faixa de ônibus da Duque começa nesta segunda


18/07/2010 -- 10h28

A mudança viária está sendo feita nos mesmos moldes da que já vigora na Professor João Cândido 

A próxima rua em Londrina que terá faixa exclusiva para ônibus será a Avenida Duque de Caxias. A mudança viária entra em operação nesta segunda-feira (19) e a Prefeitura de Londrina estima que o tempo de percurso dos coletivos que trafegam nesta via deva reduzir em sete minutos. A faixa está sendo implantada em um trecho de 1.300 metros da avenida Duque de Caxias, que vai da avenida Leste-Oeste até a Juscelino Kubitscheck. O trecho passou recentemente por recape asfáltico. A mudança viária está sendo feita nos mesmos moldes da que já vigora na Professor João Cândido. O horário de funcionamento será das 7h às 19h, de segunda a sexta-feira, e das 7h às 14h, aos sábados. No local, além dos veículos de transporte coletivo, também está liberado o tráfego de táxis desde que estejam com passageiros. A Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) orienta que os táxis evitem usar películas de escurecimento dos vidros (insulfim), para que os agentes da entidade possam identificar a presença de passageiros nos automóveis. O local foi sinalizado com 22 placas, 464 prismas e sinalização horizontal. Os demais veículos automotivos terão duas divisórias, à esquerda, disponíveis. Fora dos horários de funcionamento, a Faixa Exclusiva para Ônibus poderá ser usufruída por todos os motoristas, ficando o lado esquerdo da pista disponível para estacionamento. "O objetivo é melhorar o tráfego do transporte coletivo nos horários de pico do trânsito londrinense, diminuindo o tempo de percurso e o tempo de espera dos passageiros", explicou o diretor de trânsito da CMTU, Wilson de Jesus, segundo o qual, a previsão da companhia é que o tempo total de percurso dos ônibus no sentido centro-bairro diminua sete minutos com a nova faixa. O diretor apontou que, na João Cândido (sentido bairro-centro), onde o serviço já é aplicado, a diminuição do tempo total de deslocamento foi de 10 minutos. "Esse resultado superou as nossas expectativas, atestando a eficiência da faixa", avaliou. [Image] Redação Bonde

sexta-feira, 9 de julho de 2010

A- A+ Mais linhas, novos ônibus e maior acessibilidade no transporte de Curitiba

Prefeitura 09/07/2010
Nos últimos cinco anos o sistema de transporte coletivo de Curitiba ganhou um novo eixo de transporte; uma nova linha do sistema Expresso; uma tarifa mais barata aos domingos; 1.120 ônibus zero quilômetro; elevadores, rampas e equipamentos especiais que duplicaram o índice de acessibilidade no sistema; estações-tubo com três portas e ônibus articulados que aumentaram em 20% a oferta de lugares no Ligeirinho Inter2; integração por cartão na estação Santa Quitéria, beneficiando usuários da linha Vila Velha Buriti, e o primeiro ônibus Ligeirão da cidade. 
Confira os avanços e melhorias no sistema de transporte nos últimos anos em Curitiba:
 
Mais canaletas
 - Construída no trecho urbano da antiga BR 116, a Linha Verde Sul abriga o sexto corredor de transporte da cidade e representa uma ampliação de 72 para 81 quilômetros na extensão do sistema de canaletas exclusivas para o ônibus. Quando a Linha Verde Norte estiver pronta esta ampliação chegará a 92 quilômetros, um aumento de 25% na extensão total do sistema de canaleta que é um dos pilares da integração do transporte.

Novo Expresso - A partir da Linha Verde Sul Curitiba ganhou, em maio do ano passado, uma nova linha do sistema expresso, a Pinheirinho- Carlos Gomes que faz a ligação bairro-centro em 25 minutos, dez minutos a menos do que a viagem feita pelo Eixo Sul. Quando a Linha Verde Norte estiver pronta a cidade vai ganhar também as linhas do expresso Atuba-Carlos Gomes e Pinheirinho-Atuba.

Novas estações - Com a primeira etapa da Linha Verde o sistema de transporte passou a contar com mais cinco estações tubo (São Pedro, Xaxim, Santa Bernadethe, Fanny e Marechal). Outras oito entrarão em operação com a Linha Verde Norte. As estações da Linha Verde são amplas, climatizadas, têm película que reduz o impacto da luz solar no interior da estação e, mais importante ainda, permitiram a integração de linhas que antes cruzavam a antiga BR. Passageiros de linhas como São Pedro, Xaxim e Gramados tinham que ir até um terminal para mudar de ônibus. Agora estes ônibus param na Linha Verde onde é possível fazer a integração, beneficiando diariamente milhares de curitibanos.

Biocombustível - A Linha Verde também permitiu a implantação de uma frota de ônibus movida exclusivamente a biocombustível, sem mistura de óleo mineral. São seis ônibus que fazem a linha Pinheirinho-Carlos Gomes abastecidos apenas com combustível á base de soja, sem óleo diesel.
Curitiba é a primeira cidade da América Latina a fazer uma experiência deste porte  com biocombustível, o que poderá representar uma redução na emissão de poluentes de até 50%.

Ligeirão - O novo ônibus representa uma ampliação de pelo menos 50% na capacidade do sistema de canaletas. O primeiro Ligeirão de Curitiba começou a circular no dia 29 de março deste ano fazendo a ligação do Boqueirão-Centro com apenas três paradas: na estação Cefet e nos terminais Hauer e Carmo. O tempo de viagem foi reduzido em 15 minutos e a oferta de ônibus no Eixo Boqueirão aumentou em 10%.

Ônibus mais novos - A Rede Integrada de Transporte tem uma frota de 1.910 ônibus e, nos últimos cinco anos, 1.120 ônibus zero quilômetro entraram em operação, reduzindo para 5,1 a idade média da frota.  Equipados com elevadores, balaústres e espaços diferenciados para portadores de deficiência, os novos ônibus são também menos poluentes porque têm motores que fazem a queima quase completa do diesel. Nos últimos cinco anos, a redução na emissão de poluentes na frota do transporte coletivo chegou a 161 toneladas por mês, em média.
 
Inter 2
 - Os 80 mil passageiros desta que é uma das linhas mais conhecidas da cidade foram beneficiados nos últimos anos por uma série de investimentos. A frota, de 70 ônibus, passou a contar com 40 articulados, um aumento de 20% na oferta de lugares nos ônibus. As 28 estações do Inter 2 ganharam uma terceira porta e mais acessibilidade, passando a contar com elevadores ou rampas, novas calçadas em material antiderrapante e faixas elevadas de travessia. O Inter 2 passa em 12 bairros e percorre, a cada viagem, 38 quilômetros. A construção de três grandes binários - Brasília, Mario Tourinho e Capão da Imbuia/Hauer, em 2008, permitiu a implantação de sentido único de trânsito em quase 20 dos 38 quilômetros do trajeto do ônibus.

Terminais melhores - 18 dos 21 terminais de transporte foram reformados no ano passado com obras, principalmente, de acessibilidade: elevadores, rampas, sinalização, pistas internas e sanitários adaptados garantiram mais conforto ao usuário do sistema de transporte. O terminal Pinheirinho teve sua capacidade ampliada em 40%. O terminal Cabral está sendo ampliado, uma obra feita pelo governo do Estado como contrapartida ao município de Curitiba pela integração, no final de 2008, do terminal Guaraituba, de Colombo.
 
Domingueira 
- Desde janeiro de 2005, ficou mais barato andar de ônibus aos domingos. É que a tarifa do ônibus nos domingos passou a custar R$ 1,00, hoje menos da metade da tarifa normal, de R$ 2,20. A domingueira vale para todo o sistema - à exceção da Linha Turismo - beneficiando principalmente o trabalhador que não ganha vale transporte para o domingo e que, com a tarifa mais baixa, pode sair com a família para passeios nos parques ou visitar parentes, por exemplo.

Mais acessível - A acessibilidade no transporte coletivo de Curitiba aumentou de forma considerável nos últimos anos. O índice de acessibilidade na frota de ônibus, que era de 44% passou para 84%. Graças a obras de reforma e melhorias e à instalação de elevadores, 80% das 364 estações tubo têm os requisitos exigidos pela acessibilidade. Nos ônibus, 20% dos bancos são destinados a idosos, gestantes ou pessoas com dificuldade de locomoção e têm cor diferenciada dos demais bancos.

Double deck - A novidade ganhou as ruas no final de 2008 e rapidamente se transformou em um dos ícones do turismo em Curitiba. Os ônibus de dois andares fizeram tanto sucesso que o número de passageiros na Linha Turismo passou de 520 mil, um aumento de 45,5% em 2009, em relação ao ano anterior.