quinta-feira, 28 de maio de 2015

Aumento da tarifa em quatro municípios gera protesto de usuários

28/05/2015 - Paraná Extra

Os usuários de ônibus da Região Metropolitana de Curitiba (RMC) encontraram mais um anúncio de aumento da tarifa: dessa vez, as passagens para as linhas integradas de Bocaiúva do Sul, Itaperuçu, Contenda e Rio Branco do Sul passarão de R$ 3,30 a R$ 4,40 para quem vem a Curitiba. Para o retorno às suas cidades de origem, os usuários continuarão pagando tarifa de R$ 3,30. O novo preço deve valer a partir do dia 1º de junho, de acordo com comunicado da Coordenação da RMC (Comec).

 "Que absurdo é esse? As pessoas não andam de ônibus porque querem, mas sim porque precisam, e as empresas fornecem uma tarifa com esse valor? Vocês estão tirando dinheiro de quem não tem", protestou uma usuária em uma página na rede social Facebook.

A justificativa para o aumento, segundo a Comec é a implantação do chamado degrau tarifário nos quatro municípios para manter a integração com o sistema de transporte metropolitano. Segundo a Comec, a adoção do degrau tarifário foi necessária para garantir o equilíbrio financeiro, a integração da Rede e, também, para permitir melhorias no sistema. "Este modelo é adotado, com bons resultados, em outras regiões metropolitanas do Brasil e do exterior", disse o diretor-presidente da Comec, Omar Akel. Ele explicou que o cálculo da tarifa leva em conta o índice de passageiros por quilômetro. O deslocamento desses quatro municípios até Curitiba é de cerca de 40 quilômetros.

Integração

Com a implantação do degrau tarifário, os usuários dos quatro municípios vão pagar uma tarifa de R$ 4,40 (em dinheiro ou vale transporte em papel) e vão se deslocar até o terminal do município mais próximo, como já ocorre atualmente.

Os ônibus que vêm de Itaperuçu e Rio Branco do Sul desembarcam dentro do Terminal Tamandaré (em Almirante Tamandaré), os de Bocaiúva do Sul se integram no Terminal Guaraituba (em COLOMBO) e os de Contenda no Terminal Central (em Araucária). Nestes terminais os usuários podem se integrar com as demais linhas para chegar até Curitiba, sem pagar uma nova passagem.

No retorno, os usuários vão embarcar em Curitiba, pagar uma tarifa de R$ 3,30 (ou R$ 3,15 com o cartão da Urbs) e se integrar nos terminais, sem pagar uma nova passagem, para chegar até sua cidade de origem.

Cartão

O usuário que carregou crédito no cartão da Urbs até a zero hora de 6 de fevereiro (no valor de R$ 2,85) poderá utilizar até 6 de agosto, em todas as catracas urbanas e metropolitanas integradas (tanto para ir para a Região Metropolitana quanto para voltar).

Ônibus biarticulado

A partir do dia 01 de junho, entram em operação ônibus articulados em Itaperuçu e Rio Branco do Sul. Inicialmente será colocado um ônibus articulado em cada município e, até o final do mês de junho, deverão ser implantados mais um ônibus em cada município.

Os ônibus convencionais comportam em média 80 pessoas, enquanto os articulados têm capacidade para atender 150 usuários. Os novos ônibus serão ofertados apenas nos horários de pico, quando a demanda de passageiros é maior.

domingo, 10 de maio de 2015

Transporte coletivo: aberta licitação para o corredor Leste-Oeste

09/05/2015 - Prefeitura de Curitiba

A Prefeitura de Curitiba abriu processo de licitação para executar a primeira etapa das obras de readequação no Corredor Leste-Oeste do BRT (Bus Rapid Transit), que vai permitir a operação de uma nova linha de Ligeirão na cidade.

A empresa ou consórcio vencedor vai ser responsável por realocar estações-tubo e alargar a canaleta dos ônibus, com o objetivo de criar espaços de ultrapassagem, além de construir o Terminal CIC Norte/Eduardo Sprada. Também deverá ser implantada uma nova estação-tubo, próxima ao campus Ecoville da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), na Cidade Industrial.

As intervenções desta primeira fase ocorrerão ao longo da Rua Deputado Heitor de Alencar Furtado, entre as ruas Eduardo Sprada e General Mário Tourinho, em um trecho de 5,7 quilômetros, nos bairros CIC, Campo Comprido, Mossunguê e Campina do Siqueira.

Com financiamento da Caixa Econômica Federal, a execução dessa etapa representa um INVESTIMENTO de R$ 27,2 milhões. Para todo o eixo Leste-Oeste, está previsto um aporte de R$ 194,5 milhões, custeados pelo Município e pelo governo federal.

O recebimento das propostas está marcado para o dia 1º de junho, e a abertura dos envelopes ocorrerá no dia 2 de junho. A licitação das obras, que será feita por meio de Regime Diferenciado de Contratação (RDC), integra o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade, do governo federal.

As obras marcam o início da implantação do Ligeirão Leste-Oeste, que vai fazer a ligação entre a CIC Norte e o Centenário (Cajuru), com previsão de carregamento de 80 mil passageiros por dia.

Diferentemente da solução aplicada nos eixos Norte e Boqueirão, em que as estações foram desalinhadas, a maioria dos tubos vai continuar frente a frente no eixo Leste-Oeste. Na nova concepção, elas serão apenas afastadas, com alargamento da via dos ônibus, permitindo a criação de espaços de ultrapassagem para o Ligeirão. Desta forma, fica garantida a integração entre os dois lados, e a circulação de pedestres torna-se mais segura e confortável.

Nos trechos próximos às estações-tubo, as pistas de trânsito lento, que margeiam as canaletas, serão transformadas em faixas elevadas, ao nível da calçada. Iluminação, paisagismo, bancos, áreas de descanso e paraciclos completam o projeto, desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), em parceria com a Urbs.

Além da Rua Deputado Heitor de Alencar Furtado, o eixo Leste-Oeste também é formado principalmente pelas avenidas Padre Anchieta, Sete de Setembro e Affonso Camargo. Por ele passam os ônibus do BRT Centenário-Campo Comprido que transportam, por dia, 100 mil passageiros e o Ligeirinho Pinhais-Campo Comprido.

O Leste-Oeste será a terceira linha do Expresso Ligeirão, já implantado nos eixos Boqueirão e Linha Verde Sul.