sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Mudanças nas linhas metropolitanas de Curitiba entram em vigor

06/08/2015 - G1 PR

Os vales-transporte de papel deixam de ser comercializados a partir desta quinta-feira (6) nas linhas metropolitanas de Curitiba. Com a mudança, o pagamento da tarifa poderá ser feito com o cartão eletromagnético metropolitano ou dinheiro. Os bilhetes adquiridos antes deste prazo ainda poderão ser utilizados nas linhas até o fim de 2015. Também a partir desta sexta, os cartões da Urbs, não poderão mais ser utilizados nas linhas da região metropolitana.

Já em Curitiba, os cartões da Urbs continuam sendo aceitos normalmente em todos os 21 terminais urbanos e nas estações tubo onde passam linhas urbanas.

De acordo com Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), os custos para a mudança para o cartão eletromagnético são arcados pelas empresas operadoras do sistema. O primeiro cartão é oferecido gratuitamente para os usuários.

As pessoas físicas poderão fazer o cartão, nos terminais metropolitanos ou na Metrocard, a partir desta quinta. Para isso, é preciso ter em mãos cópia do RG, CPF e comprovante de residência.

Para os usuários que têm direito à gratuidade, o novo sistema oferece ainda a biometria facial, que é o reconhecimento do passageiro por meio de uma imagem. O mecanismo verifica as proporções faciais do usuário e as compara com as de um banco de dados. Neste caso, com as características dos passageiros cadastrados.

"Isso é importante para a diminuição de fraudes no sistema e coibir a má utilização para aqueles que têm o direito, pela lei, de gratuidade do sistema", disse Lessandro Zen,  que é presidente da Metrocard – associação que representa as empresas operadoras do transporte público na Região Metropolitana de Curitiba.

Os usuários também poderão acompanhar, por meio de um aplicativo do celular, a localização e horário de chegada dos ônibus. Conforme divulgado pela Comec, até o mês de setembro, os 500 ônibus da frota estarão equipados com GPS.

Na avaliação do presidente da Comec, Omar Akel, a bilhetagem eletrônica não beneficia apenas os passageiros, auxiliando na fiscalização do sistema de transporte. "Vai controlar carro a carro, linha por linha, todas as características da operação. Com isso vamos poder ajustar muito o transporte".

Nenhum comentário:

Postar um comentário